Rap e Trap Gospel

Rap e Trap Gospel, já ouviu? Se sua resposta for não, pegue seu fone que vamos apresentar um novo mundo para você. O mundo da música gospel, que abrange diversas vertentes dentro de seu movimento, artistas renomados e populares entre o meio se destacam passando mensagens em forma de canção.

Conhecida por ser um gênero que transmite muitos sentimentos em suas canções, a música gospel tem ganhado novos caminhos e atraído seguidores dentro e fora das religiões que conhecemos.

E se tratando de música, o Rap e Trap Gospel têm lugar garantido nas músicas mais ouvidas nos streamings. Não demorou muito para as 2 vertentes se conectarem, ganhando força por todo o país.

O Rap já era forte dentro da música gospel, onde por muito tempo era a música que mais alcançava os jovens da periferia, ligando eles com as palavras de Deus entre as batidas de boombap.

Mas agora é a vez do Trap, a vertente poderosa e originária do Rap surge dessa vez com muita benção, ideias de reflexão e protestos que fazem os ouvintes sentirem a essência do compromisso do rap. 

Conheça agora algumas canções do Rap e Trap Gospel:

Rap Gospel

Ao Cubo – Vaso

PREGADOR LUO – Árvore de Bons Frutos | APOCALIPSE 16

Mensageiros da Profecia – Perdão A Cura Para o Ódio – RAP Gospel

Trap Gospel

VICTIN – Já Agradeço (prod. Ajaxx) | Official Music Video

Asaph – Sem Mentiras (Videoclipe Oficial)

BIG ASHER – Vivendo Cristo 🕊 | Trap Gospel

O Rapper Victin de 22 anos, nascido em Teresópolis, Rio de Janeiro realizou uma entrevista para o Site Metrópole, onde ele conta um pouco do cenário do rap e agora trap gospel, confira:

(foto: reprodução/instagram)

“O rap é rima e batida, é a sua verdade em cima de um ritmo, de uma rima. Existem pessoas que vão falar de drogas, de festas, de ostentação e existem pessoas, como eu, que vão falar de Deus, dos princípios do reino”, disse Victin ao Metrópoles.

O rapper lançou seu primeiro trap cristão em 2021: Prazer Jesus, e em pouco mais de um ano conquistou números relevantes: oito milhões de views no YouTube, 145 mil ouvintes mensais no Spotify e 425 mil seguidores no Instagram que atraiu atenção da Sony Music.

Apesar do sucesso, Victin contou que o trap ainda enfrenta preconceitos, é visto como “pecado” entre os religiosos mais tradicionais.

“Jesus nunca pregou a religião, que é algo que te prende, te enche de regras. Quando você começa a ter intimidade com a vida de Deus, você começa a ver o que é realmente o evangelho e o que é doutrina de homens. A igreja brasileira é recheada de doutrina de homens”, justificou o rapper.

Victin continua: “Por isso que a gente tem um pouco de dificuldade de falar do rap, falar do funk e falar de outros gêneros musicais. Porém é um preconceito que já vem sendo derrubado. O pregador Luo já quebrou isso lá atrás, Thiagão também”.

E aí, qual música você gostou mais? Conte para nós aqui do #BatalhaFUNK nos comentários do Rap e Trap Gospel.