Funk e Literatura: Conheça Os Funkeiros Cults

Funkeiros Cults

Uma ideia inusitada porém bem assertiva, que transformou jovens da periferia em grandes influencers das redes sociais – Unindo Funk e Literatura nascia a página “Funkeiros Cults”.

Criada por jovens de Manaus, a página bombou no instagram viralizando seus conteúdos, com tons de humor onde ativa a curiosidade de seus seguidores.

Com o intuito de unir o movimento funk com a cultura dos livros, a página foi criada para quem vem do Funk entender o que grandes obras da literatura, filosofia e do cinema clássico abordam.

Transformando a linguagem original em adaptações com trocadilhos e gírias periféricas atuais, conseguindo assim passar a mensagem que é, emergir os jovens da periferia em conteúdos relevantes da humanidade.

Saiba mais sobre: O Que é? Trap Nerd e Rap Geek – BatalhaFUNK

Funkeiros Cults
(Foto: Reprodução Instagram/FunkeirosCults)

O Conteúdo de Funkeiros Cults

O perfil compartilha fotos de seus seguidores, lendo livros clássicos de filósofos famosos, de mestres da literatura brasileira e internacional. 

Expondo de maneira criativa a opinião de seus leitores funkeiros – com sua liberdade de expressão e linguajar urbano, consegue atingir muitos seguidores pois comunica diretamente com o público periférico.

Parcerias e Oportunidades 

Após atingir um grande alcance nas redes sociais, a página Funkeiros Cults já trabalhou com grandes artistas da música urbana. 

Atraindo também grandes marcas comerciais, como Kondzilla, Submarino, Spotify, Google, Tik Tok e Netflix. Chegando participar de programas como na TV Aberta brasileira. 

Em entrevista para o site Acritica.com, o fundador da página; Dayrel Teixeira fala como os conteúdos se tornaram importante para os jovens da periferia, confira: 

Saiba Mais Sobre: A CULTURA DO RAP E TRAP INDÍGENA – BatalhaFUNK

Funkeiros Cults
(Foto: Reprodução Instagram/FunkeirosCults)

“Assim como muitos jovens de periferia, eu nasci ouvindo funk e o forró, que são ritmos muito populares em Manaus, e mesmo sendo ritmos famosos acaba tendo um estigma social muito grande sobre quem ouve. É comum ver pessoas se referindo a funkeiros ou forrozeiros como marginais ou mal educados, sei bem o que é isso. Somos moradores do bairro da Compensa, então eu vi a necessidade de expressar que, na periferia, apesar do difícil acesso, as pessoas buscam se interessar por arte e cultura e, é claro, buscar atrair mais jovens a se interessar, justamente com esse trabalho de representatividade”

Origem dos Conteúdos

A maioria das fotos vem de seguidores de todo Brasil, de diferentes favelas e comunidades carentes de São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus e Bahia. 

As postagens ocorrem toda semana e você pode mandar a sua foto para página através do direct do perfil. 

Já pensou? Então pega seu livro, prepara para tirar aquela foto “Cult” para se enquadrar dentro dos Funkeiros Cults. Não deixe de mostrar para nós aqui do #BatalhaFUNK