Dia Nacional do Funk

Você sabia que hoje é o dia do funk? Pois é, hoje é o dia nacional do funk! Cada estado tem suas datas comemorativas e simbólicas, mas o dia principal que abrange o território nacional é o dia 12/07, mas porquê dessa data? Vamos viajar no tempo para entender o tamanho desse seus feitos nesses anos de agitação que o movimento trouxe. 

O funk surge nos anos 60 no sul dos Estados Unidos como um ritimo criado por negros, artistas como James Brown, George Clinton, Horace Silver, entre outros pioneiros do movimento que se eternizaram com o ritimo do funk. Gênero musical que surgiu de combinações de diversos ritmos da época, como Blues, Jazz, Soul e Gospel, músicas populares da cultura negra.

Funk chega ao Brasil

O gênero começou sua história em terras brasileiras nos anos 70, ganhando os bailes da zona sul do Rio de Janeiro. Com ritmos contagiantes em suas batidas animadas e dançantes que se resumiam em reproduções das músicas norte-americanas e músicas brasileiras que começavam a serem sampleadas com a batida popular dos EUA.

Nos anos 80, o ritmo fazia sucesso no Brasil com músicas de batida acelerada e letras mais erotizadas, exclusivamente em inglês pois ainda se baseava no que vinha dos Estados Unidos.

Mas no fim da década de 80 surgiu o produtor musical DJ Malboro incluindo a bateria eletrônica ao ritmo, onde lançou seu primeiro álbum chamado “O Funk Brasil” onde se consolidou no mercado nacional, com letras em português onde MC’s retratavam a realidade das favelas.

A ideia foi produzir na periferia e para a periferia, rapidamente, ganhou as ruas cariocas e as regiões periféricas do Brasil. Artistas que marcaram gerações e que foram responsáveis por potencializar o movimento recém criado, como Claudinho e Buchecha, dos sucessos “Só Love e Nosso Sonho”, e Cidinho e Doca, do hit “Rap Da Felicidade“.

(Foto: Reproducao Twitter)
(Foto: Reproducao Twitter)


Anos 2000, o surgimento do Tamborzão

O momento em que o funk deixou de ser um ritmo periférico, para entrar nas classes média e alta do país, invadindo baladas, academias de dança, tocando em rádios e fazendo parte da trilha sonora de novelas e filmes nacionais.

Uma das maiores responsáveis por essa mudança e crescimento do novo funk brasileiro, foi a produtora Furacão 2000, que popularizou o baile funk em todo o Brasil e lançou grandes artistas do gênero, como os grupos Gaiola das Popozudas e Os Hawaianos, Mc Smith, Mc Leozinho entre outros sucessos da época. Inclusive em 2001, Bonde Do Tigrão conquistou o Brasil alcançado o seu primeiro disco de platina pela Pró-Música Brasil.

Subgêneros do Funk

No início o funk brasileiro surgiu como uma variante do soul, hoje possui suas próprias vertentes. Vamos conferir quais são?


(Foto: Reproducao Instagram)

Funk Carioca

As primeiras melodias criadas em ritmos 100% brasileiro vieram do Rio de Janeiro, onde por muito tempo residia os funks mais populares do Brasil. E apesar de ser denominado “carioca”, ele não precisa, necessariamente, ser produzido na região.
A característica principal passa por sua diversidade de bpm. A sigla “bpm” significa “batidas por minuto”. O funk carioca passa pelos 150 bpm, 130 Bpm e o 95 bpm.
Bonde das Maravilhas – Aquecimento das Maravilhas – QUADRADINHO DE OITO CLIPE OFICIAL

Funk Ostentação (Funk Paulista).

E a vertente que fala sobre carros de luxo, jóias e dinheiro. Essas músicas constituem o funk ostentação, também chamado de funk paulista. Ele, ao exaltar o consumismo desenfreado, sugere o desejo da população periférica de “melhorar de vida”, saindo das favelas.
MC Guime – Plaque de 100 (Clipe Oficial – HD) – (Prod. DJ Wilton)

Funk Consciente

A vertente mais próxima do rap, as comparações se dão pois o objetivo é denunciar os problemas sociais e, principalmente, o descaso com os moradores de favelas. O ritmo está sempre em alta, desde dos anos 2000, figurando entre as músicas mais ouvidas do movimento.
ILUSÃO “CRACOLÂNDIA” – Alok, MC Hariel, MC Davi, MC Ryan SP, Salvador da Rima e Djay W (GR6 Explode)

Funk Pop

O funk pop costuma ser o destino final dos artistas que queiram alcançar o máximo da fama que o funk pode oferecer, aqueles que desejam conquistar espaço
nacional e internacional na música. Com letras mais suaves quando comparadas com o funk no geral e batidas mais tranquilas.
Anitta, Mc Zaac, Maejor feat. Tropkillaz & DJ Yuri Martins – Vai Malandra [Official Music Video]

Funk Proibidão

De todos os citados é o mais cercado de polêmicas, isso por suas letras que falam sobre vida no crime, de sexo de forma explícita e sobre drogas. Apesar das letras falarem sobre todos esses temas, o funk proibidão não necessariamente faz apologia à criminalidade.
MC Kauan – Mestre das Fugas 2 (KondZilla)


O Funk Como Movimento Social

Embora ainda sofra preconceito, principalmente por ser um ritmo da periferia, com letras que tratam sobre assuntos polêmicos aos olhos da sociedade, impulsionado pela a mídia que trata sobre o assunto de forma errônea, o funk brasileiro deixou de ser apenas um ritmo, se tornando um movimento social, retratando a vida nas favelas, dando voz a quem é diariamente silenciado, e trazendo oportunidade aos excluídos. Por se tratar de um gênero musical acessível, de fácil concepção e conter uma forte mensagem, o funk tem aberto portas e tirado muitos jovens do mundo do crime.

 

Dia do Funk

O deputado federal Alexandre Padilha apresentou o projeto de lei que pede
a criação do Dia Nacional do Funk, em 12 de julho. A iniciativa se deu após uma série de mobilizações da massa funkeira (produtores culturais, pesquisadores, empresários, artistas…), como o Manifesto pelo Dia Nacional do Movimento da Cultura Funk e a Audiência Pública presidida pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados. A apresentação do Projeto de Lei é mais um grande passo na luta pelo reconhecimento do ritmo brasileiro mais popular da atualidade.

Funk Nos Dias De Hoje

Hoje o funk configura entre os ritmos mais ouvidos do Brasil, desbancando outros gêneros musicais como o sertanejo, pagode, entre outros. Dominando as plataformas digitais com diversos MCs renomados, nomes como MC Hariel, MC Ryan SP, MC Paulinho da Capital, MC Lipe, entre outros artistas que levam a bandeira para o Brasil afora.

(Foto: Reproducao Twitter)

E aí, qual música você mais gosta no funk? Deixe nos comentários aqui do #BatalhaFUNK para prestigiar o dia do funk nacional!